Filho de Chorão diz que carrega um fardo desde a morte do pai.

Filho de Chorão diz que carrega um fardo desde a morte do pai.

O filho de Chorão fez um desabafo e contou que o pai, para comprar os direitos da banda dos outros integrantes, fez uma dívida ‘impagável’ com a gravadora. Alexandre afirma que dívida é descontada até hoje.

Em entrevista ao site G1, o herdeiro dos direitos da banda Charlie Brown Jr., Alexandre Abrão, falou sobre os problemas enfrentados com o legado deixado pelo pai, o cantor e compositor Chorão.

O filho do cantor também revela outros desafios da sua atividade. Alexandre diz que considera uma honra cuidar do trabalho do pai, mas que já viu isso como um fardo e que faz acompanhamento psicológico desde a morte do pai.

Outro episódio dessa história conturbada desde que o músico morreu, em 2013, é a saída guitarristas Marcão e Thiago Castanho de projetos ligados à banda.

Segundo Alexandre, os músicos romperam com ele sem querer conversar, e que uma reconciliação depende dos dois.

O filho de Chorão contou ainda que sempre concordou com as demandas dos ex-colegas do pai, e que os dois tentaram registrar marcas da banda e até entraram com um processo na justiça sem conversar com ele antes.

Alexandre afirmou ainda que, em 2016, guitarrista Thiago o trancou em um banheiro e ameaçou: ‘Vou tirar o nome da banda de você’.

Thiago e Marcão publicaram notas no Instagram justificando a saída do projeto. Leia abaixo:

“Infelizmente, o ego, a vaidade e a ganância falaram mais alto que uma parceria coerente e honesta, fazendo com que a gente tome a decisão de nos desligar da tour anunciada e de qualquer outro projeto que esteja vinculado ao Alexander, filho do Chorão, e suas empresas”, diz a primeira nota.

“Diferente do que foi contado, não se trata de querermos o nome, mesmo sabendo que ele não pertence a essas pessoas! Vale lembrar que não existe o registro do nome Charlie Brown Jr no INPI, o que assim não dá direito a ninguém se dizer dono de tal “marca” como no texto é mencionado. Não iremos aceitar ameaças e coações da empresa e representantes ligados ao Alexandre, filho do Chorão. Temos o direito de tocar nossas músicas com quem e como a gente quiser!”, diz a segunda nota.

Por: Fernando wberdan
Fontes: msn/g1.